6 de jun de 2014

Resenha: O Sincronicídio - Fábio Shiva





"A própria vida não é mais que um intervalo entre dois esquecimentos."

Há muito pouco tempo que conheci melhor e derrubei o meu preconceito literário com relação aos romances policiais, e foi justamente por  me sentir um tanto quanto inapta é que fiquei com um certo receio de resenhar, mesmo antes de ler, o primeiro livro que recebi da minha primeira e única parceira, a Caligo Editora...
O Sincronicídio, do Fabio Shiva, me intrigou logo de cara, me chamou a atenção a mescla de estilos que propagava e a tremenda curiosidade que senti em saber como seria um romance policial de um cara tão musical e zen! rs


Mas a surpresa que o livro me trouxe foi ainda maior, pois em suas 520 páginas eu me surpreendi, ri, fiquei intrigada, senti mal estar, ou seja, o livro me trouxe uma mescla de sentimentos que acredito me fez gostar ainda mais dele. Também fiquei encantada com a editoração e todo o trabalho gráfico. O livro é dividido em 4 partes e cada capítulo é pontuado de acordo com a numeração e citação dos 64 hexagramas do milenar oráculo chines, o I-ching, que tem tudo a ver com o que será relatado da trama, e os capítulos ainda são pontuados pelas jogadas da estratégia enxadrista , Passeio do cavalo.




Foi-me impossível não interagir diretamente com o livro e rabiscá-lo inteiro enquanto lia. Muitas vezes me surpreendi questionando-me se toda a bagagem cultural demonstrada no livro seria só do autor [Fábio tem um extenso currículo e bagagem cultural vasta, conheça mais um pouco dele aqui!] ou o narrador[es] fora beneficiado com essa qualidade? Ao longo da leitura, que é fluida e ligeira vamos sendo apresentados a assuntos como história, filosofia, transcendentalidade, fatos reais, pros que têm boa memória, religião e sexo, muito sexo, mas que não chega a ser algo apelativo, como veremos ao longo da leitura, já que é parte fundamental da trama.

O Sincronicídio é um romance policial, um suspense investigativo, que nos brinda com uma história extremamente original, que tem a intenção de homenagear todos os estilos de livros policiais, e vai do noir ao escatológico de uma forma bem interessante! Além do fato de que o autor aproveitou de uma forma brilhante o conceito de Sincronicidade de Jung. É narrado em primeira pessoa por um personagem inicialmente não identificado, e está totalmente focado no protagonista, o inspetor de polícia Alberto Teixeira, que já nos é apresentado de cara como um homem jovem, sensível, inteligente, um tanto quanto bruto e com um bom físico, quase sexy e com um falo avantajado! O que veremos nas 520 páginas do livro, é um emaranhado de eventos não convencionais e cheio de reviravoltas que nos faz não querer largar o livro, até o fim que é, de fato, surpreendente! 

Fábio Shiva lança mão de uma narrativa simples, provocativa, direta, instigante, de um suspense crescente e sem clichês, tudo muito bem contextualizado e sem fios soltos. A qualidade gráfica da edição, como já disse é primorosa e o conteúdo nos apresenta um autor bastante intelectualizado, mas que não cai no pedantismo, que é simples sem ser vago, e ainda nos brinda com um senso de humor apurado.

E por favor, não me peçam pra falar mais, porque não há como esticar mais esse meu fio sem cair na trama e com isso estragar toda a surpresa que o livro encerra. Leia, e tenha a certeza de que se surpreendera tanto quanto eu, no mínimo! ;o)



♥♥♥♥





Título: O Sincronicídio - Sexo, morte e revelações transcendentais
Autor: Fabio Shiva
Editora: Caligo
Edição: 1
Ano: 2013
Número de páginas: 520




3 comentários:

Bia Machado disse...

Obrigada pela resenha, Patrícia! Esteja certa de que fez jus ao livro! =D

Conversa de Livro disse...

Patrícia, adorei a sua resenha! Realmente o livro é muito rico. Eu gostei muito dele, mas confesso que estou tendo um pouco de dificuldades na leitura, acho que as questões do xadrez e do I Ching me desconcentram da leitura e da história em si. A diagramação é muito boa e o livro foi feito com muito cuidado mesmo. Depois te conto o que achei da miha leitura. Beijos,

Ilmara

mm amarelo disse...

Paty, adorei sua resenha!
Eu também quero mergulhar mais nos policiais...Li "O Cirurgião" para o Fórum e gostei da experiência, acho que desopila a mente, rs.

beijo grande, cheio de saudade!
Maira