3 de fev de 2013

Entre Pontos e Vírgulas #3: As Irmãs Makioka - Junichiro Tanizaki





Escrito durante a guerra e sendo impedido de publicar pelos militares,  As Irmãs Makioka é um romance onde quase nada acontece e tudo o mais é descrito com perfeição. Trata-se basicamente da história de 4 irmãs [Tsuruki, Sachiko, Yukiko e Taeko] em busca de um marido para a irmã Yukiko. Sem esse casamento a caçula [koisan] Taeko, que já não aguenta mais a espera, não pode se casar. No entanto, Yukiko não tem pressa nenhuma e nem faz questão de demonstrar um pingo de vontade de se casar. Os encontros com os possíveis pretendentes [miais] se sucedem e há sempre um fator impossibilitador para a oficialização do noivado. Até que, finalmente, um dia ela acaba por se casar, mesmo sofrendo de diarreia!
E entre um miai e outro as irmãs e cunhadas se preocupam também com os escândalos protagonizados pela koisan Taeko, que é a mais ocidentalizada das quatro irmãs.

Tanizaki nos conduz de um acontecimento a outro descortinando a mais fina flor da sociedade e cultura japonesa, bem como seus costumes e sua ética. À primeira vista a falta de acontecimentos do romance poderia nos levar a pensar que este possa ser um romance tedioso e de difícil leitura, ainda mais por não estarmos habituados com os nomes e nomenclaturas japonesas, mas não é! Porque o que está em foco na obra não é o que se conta, mas justamente como esta história é contada.

A escrita de Tanizaki é de leitura fácil e agradável, no entanto não é poética, mesmo tendo algumas passagens mais líricas no decorrer do romance, mas seu ponto forte está no perfeito entrelaçamento de fatos tidos como sem muita importância, um tanto quanto despretensiosos, como encontros sem muita relevância, doenças, passeios, trocas de correspondência, rituais e descrição de trajes e padronagens de tecidos.

As Irmãs Makioka retrata o cotidiano de uma típica família japonesa, que já foi muito abastada e que ainda se mantém conservadora, percebemo claramente a  discussão dos costumes, da cultura e das relações sociais japonesas tradicionais, além dos conflitos entre valores japoneses e ocidentais, bem como o impacto da modernização no país  e nas relações pessoais.

É justamente nas personagens das irmãs caçulas que vemos a grande contradição desse embate. Yukiko, a solteirona e a mais emblemática personagem do romance representa a inércia das relações, a posição da mulher diante da sociedade, aquela qu
e se deixa levar e moldar de acordo com os costumes e tradições e, ao mesmo tempo, podemos ver nela toda a força da tradição. Já na caçula Taeko, podemos ver a representação de um Japão mais aberto à modernização dos costumes, com um entusiasmo pela liberdade e independência.


Junichiro Tanizaki, nasceu em 24 de Julho, 1886—30 de Julho, 1965) e é até hoje um dos maiores autores da literatura japonesa moderna e um dos mais popular romancista japonês.
E é no ano de 1923, após ter a casa destruída por  um forte terramoto Tanizaki se vê forçado a se mudar coma  família para Ashiya, na região de Kyoto e Osaka, e é esse cenário que irá fornecer os cenários à sua obra prima que é o romance As irmãs Makioka.
O erotismo, a sensualidade, o fetichismo e o sadismo  são traços característicos da escrita de Tanizaki e podem ser encontrados em quase todas as suas obras, mas foram completamente deixados de lado em As Irmãs Makioka  Dentre suas principais obras estão Amor insensato (1924), Voragem (1928), Há quem prefira urtigas (1930), A chave (1956) e Diário de um velho louco. Tanizaki também se aventurou na tradução para o japonês de alguns autores ocidentais, como Stendhal e Oscar Wilde.Tanizaki faleceu aos 79 anos, no dia 30 de Julho de 1965.



Título: As Irmãs Makioka
Autor: Junichiro Tanizaki
Editora: Estação Liberdade
Tradução do japonês: Leiko Gotoda, Kanami Hirai, Neide Hissae Nagae e Eliza Atsuko Tashiro.
744 páginas

PS: Esse livro além de ter sido escolhido para leitura do mês do fórum, também foi meu escolhido para ser o livro do mês de tema livre do Desafio Literário 2013!






2 comentários:

lualimaverde disse...

Vou já colocar o link lá no fórum! Beijinhos!!!

lulunettes disse...

O que me atraiu no romance do Tanizaki foi à acumulação de detalhes da cultura japonesa e o embate entre a tradição e a modernização. Comparam até ‘As Irmãs Makioka’ com as obras de Jane Austen. Bem, ambos abordam a atmosfera doméstica do seu tempo. Então, acho que quem aprecia Austen vai gostar deste livro.

Abraços, Patrícia!