12 de set de 2012

Resenha: Trilogia da Bela Adormecida - Anne Rice




BDSM é um acrônimo para Bondage e Disciplina, Dominação e Submissão, Sadismo e Masoquismo. O BDSM tem o intuito de trazer prazer sexual através da troca erótica de poder, que pode ou não envolver dor, submissão, tortura psicológica,cócegas e outros meios. Por padrão, a prática é provocada pelo(a) Dominador(a) e sentida pelo(a) Submisso(a). Muitas das práticas BDSM são consideradas, num contexto de neutralidade ou não sexual, não agradáveis, indesejadas, ou desvantajosas. Por exemplo, a dor, a prisão, a submissão e até mesmo as cócegas são, geralmente, infligidas nas pessoas contra sua vontade, provocando essas sensações desagradáveis. Contudo, no contexto BSDM, estas práticas são levadas a cabo com o consentimento mútuo entre os participantes, levando-os a desfrutarem mutuamente. O conceito fundamental sobre o qual o BDSM se apóia é que as práticas devem ser SSC (São, Seguro e Consensual). Atividades de BDSM não envolvem necessariamente a penetração mas, de forma geral, o BDSM é uma atividade erótica e as sessões geralmente são permeadas de sexo. O limite pessoal de cada um não deve ser ultrapassado, assim, para o fim de parar a sessão/prática, é utilizada a SAFEWORD (palavra de segurança)que é pré-estabelecida entre as partes. 

Fonte: Wikipédia


Não dá pra negar que, ultimamente [?], há um boom de literatura erótica no mercado, mais especificamente das que tratam, versam sobre BDSM . E, sinceramente, eu não tenho gostado nem um pouco! 

Mas antes que me julguem puritana ou coisas afins, digo que a questão não é bem essa, já que escrevo poesia e contos eróticos. A questão é que a prática tem aparecido em livros como uma imposição ao outro, e não como algo consensual [leram logo aí em cima qual o cenceito fundamental, né?!] além de parecer algo estritamente normal, como sair pra comprar uma cerva no bar! 

Estava super empolgada para ler “50 tons de cinza”, até que li que o mote é BDSM e o pior descobri que nada mais é que um fanfic da saga “Crepúsculo” ou seja, uma versão mais safadinha do triângulo amoroso Edward, Bella e Jacob! Então deixei a ideia de lê-lo marinando até que todos os volumes da trilogia já estejam no mercado brasileiro, e daí ver se ainda valerá a pena comprar. 

Sendo assim,  corri pra minha já completa trilogia da Bela adormecida, da Anne Rice, que foi lançado, na verdade em 1983 com o pseudônimo de A. N. Roquelaure, e SÓ AGORA, foi publicado por aqui, com o selo da editora Rocco, e que comprei por ter ficado bastante interessada na versão erótica do conto de fadas. Maaassss....

Mesmo conhecendo pouco sobre a autora, e só tendo lido, há eras, “Entrevista com Vampiro”, sei que a escrita da A. R. é bem crua, direta e que ela não mede esforços pra tornar uma cena cruel a mais crível possível. Sem falar no seu senso crítico que adora expor a hipocrisia que rola em toda e qualquer sociedade.
Entendi que a ideia era fazer do clássico conto de fadas, algo adaptado para o real, que na verdade o despertar da bela princesa nada mais é do que o despertar sexual que todos nós passamos, ou seja uma bela [?] fase. Também entendi que o livro é uma resposta à hipocrisia do fim da década de 70 que gritava em altos brados sobre e pela “liberdade sexual” e o “big bang” da industria pornográfica, além dos movimentos feministas da década de 80 que considerava uma violação dos direitos das mulheres o cinema pornô! 

Tendo em vista todo esse contexto entendido sobre a oba, a mesma supra citada não me agradou em nada! Não consegui atingir o grau de maturidade [leia isso com uma pontada de ironia, por favor!!] necessária para entender a complexidade psicológica dos personagens e nem os motivos políticos para que príncipes e princesas precisariam ser escravizados para tornarem-se monarcas humildes e entendedores das necessidades de seus súditos! 0.0 

No entanto tenho que tirar o chapéu para as descrições  perfeitas das cenas de crueldade e humilhações sexuais pelas quais a princesa é submetida. Anne Rice realmente é mestra nas caracterizações góticas e impressiona na facilidade com que cria cenas carregadas de dor e prazer. Eu não gostei da trilogia, mas deixo aqui a sinopse de cada um dos volumes pra quem gostar do gênero e do mote! E já já vou colocar os meus exemplares pra troca no skoob plus!!!



Os Desejos da Bela Adormecida
Tradutor: Amanda Orlando
Editora: Rocco
Páginas: 349

Sinopse:
O conto de fadas A Bela Adormecida ganha uma roupagem nada inocente pelas mãos de Anne Rice. Em Os desejos da Bela Adormecida, primeiro da trilogia erótica, a princesa condenada a dormir por cem anos se torna vítima de um segundo feitiço: virar escrava sexual.



A punição da Bela
Tradutor: Ana Carolina Ribeiro
Editora: Rocco
Páginas: 352


Sinopse:

Em A punição da Bela, a princesa mantida como escrava sexual passa de favorita do príncipe a renegada, depois de se envolver com Tristan, também escravo na corte de Eleanor. Vendidos para senhores diferentes, Bela e Tristan são então separados e, em meio a intensos jogos eróticos, acostumam-se a castigos cada vez mais severos. Mas quando a vila é atacada por soldados inimigos, os dois jovens são levados, junto com Laurent, um escravo fugitivo que havia sido punido severamente, para o palácio de um sultão, até o momento de serem devolvidos à rainha Eleanor.


A Libertação da Bela
Tradutor: Maria Beatriz Branquinho da Costa
Editora: Rocco
Páginas: 352

Sinopse:
Bela, Tristan e Laurent chegam às terras do sultão, onde passam por novas experiências sexuais onde prazer e dor se confundem. Mas quando os três escravos pensam que passariam muito tempo naquela terra tão diferente, são resgatados por emissários da rainha Eleanor.






Nenhum comentário: