25 de abr de 2010

Em Exercício




Risos cortam minha face esquerda 
enquanto lágrimas acelaram 

a mutação da direita.


Não digo palavras alheias 
mas sinto-as como minhas, em face do que 
já não consigo dizer e esquecer.

Quero sair, correr, gritar ao vento vertical 
que sei o que quero, mas tropeço 
nos rastros deixados 
e as duas faces choram.



Patrícia Di Carlo

Imagem:  Felilly

4 comentários:

Elisa Zavam disse...

Nossa. Depois de um dos seus recados em meu blog e esse texto preciso confessar minha preocupação contigo Moça. O que se passa?!

Linda imagem desse texto, as palavras tão sinceras e por dentro eu senti cada uma de um jeito tão forte... Sinta meu abraço.

beijos

António disse...

As lágrimas correm e decorrem de quem amamos..

Beijos
António

Elisa Zavam disse...

Eu temo minha cara, por ti como por todos os meus queridos. Talvez um subconsciente, em todo caso, ficarei com sua versão de “tudo de bem”, prefiro crer que esteja mesmo.
Ah o Amor, este fato novo e estranho em minha vida tem me deixado meio tonta e patética, rsrs. Não consigo nem formular um recado, rsrs.
Sinto nossa sintonia em alguns momentos, sinto que suas palavras já fazem parte de um contexto meu, é como complementar o que faço aqui, ou tento. Saiba que realmente tem sido enriquecedor nossas trocas e conversas, afetos e desejos, uma bela semana pra ti Moça!

Elisa Zavam disse...

Agradecendo as visitas e pensando...
Existe outro lugar onde posso encontrar você Moça?! ;)