4 de set de 2009

Morder-me o Coração



Quis o inferno e
de tua boca escorria o
rubro e denso humor
que pulsava em meu órgão
morredouro.

Um arrepio!

Uma parte de mim já não pulsa,
o vermelho continua a escorrer de tua boca
e já não mais me agito.

Seco!

Mordeste meu coração e,
sorrindo, carregas minha
vida entre dentes...


Patrícia Gomes

2 comentários:

Mara disse...

Vim te visitar, adoro tuas palavras, escreve tão bonito, apesar de que sempre sinto um tom triste, me parecem depressivos teus poemas, mas de qualquer forma são lindos. Beijinhos queridinha, bom feriado prá vc, cheio de alegria, escritos e namoro... heheheheheh.

Patrícia Gomes disse...

Olá Mara!! Seja sempre muito bem vinda aqui, e eu fico feliz em saber que mexo com as emoções de outras pessoas quando exponho as minhas!
Sim, as minhas poesias tem, algumas vezes, um q de tristes, ainda mais quando me exponho um tanto quanto a mais. Mas não sou uma pessoa triste, diria que sei bailar em cada um dos polos que tenho... ;oD
Um feriadão cheio de alegrias e beijos pra ti...