24 de ago de 2009

O Sal dos Dias



Guardo no olho triste
Uma lágrima cheia de sal
Que arde sua beleza cristalina
No descompassado coração de menina

Tentei abraçar o sol no seu pôr
Para, quem sabe, no seu sorriso,
Conseguir findar as mágoas em
Teu abraço quente e alentador

Das tuas palavras guardei
A madrugada fria e acolhedora
E tua voz ecoa de manso aglutinando
O que em meus lábios aflora

Quando a noite chegou madura
Na curta margem do olho
Senti inundar a vias escuras
E, assim, a terra bebeu o pranto,

Que era meu, um choro convulso,
Confuso e tão quase ateu...

Patrícia Gomes
Imagem: Desconheço a autoria

Nenhum comentário: