8 de ago de 2009

Íntima Chuva


Na intimidade da chuva
rezei sorrisos de beija-flor
e o luar, em pura gula,
bebeu todo o púrpura
que o crepúsculo inventou
para disfarçar os diamantes
de Lucy no ar.


Chove torto no jardim e
O silêncio líquido mergulha,
Impudico, em meu corpo
Estendido na grama e já não
Mais preciso de um fim...



Patrícia Gomes
Imagem: Gangster Love

2 comentários:

Mariana disse...

Sempre que te leio citando a chuva, me lembro daquele desenho da Banana correndo pelada, berrando alucinada pq tava tomando banho inocente de chuva.
Beijo :)

Patrícia Gomes disse...

Ai ai, só a Banana mesmo. rs
E eu continuo adorando banho de chuva, mesmo sem tomá-los há um bom tempo..

beiijos