5 de ago de 2009

Habito Dormências




A placidez não mais acaricia
a noite e o som dos sorrisos fáceis
não preenche meus olhos aguados
enquanto das mãos escorro-me inteira.

Algemei-me à minha independência,
não há luz em minha carne e
murcham minhas eternidades.

Num sorriso quase sem graça
passo descalça pelo sinuoso caminho
do meu vasto querer repleto de vazios.

Sobre meu rastro vem dormir o outono
em silêncio de plumas ao ar
diluindo-se em invernais cores.


Inquieta repouso quietações.



Patrícia Gomes
Imagem: Anna Hurtig



Um comentário:

F. Reoli disse...

Até o seu silêncio é belo! ( E sempre muito bem descrito)
Beijo