2 de ago de 2009

Nocturnu



No cantarolar da noite
Fui pinçada por ventos e palavras;
Frases vaga-lumes iluminavam
O opaco da minha ocupação:

Escutava a cor da lua
No frio piar das corujas,
Afligia mármores, moldava argilas,
Tal qual extraordinária Claudel.

Lancei à pedra o grito desesperado
Por estagnar-se no tempo, e somente
a aurora respingava em meus olhos.

Repetia o noturno e seus cantares
A cada nascida frase que coloria
De azul o branco plano do meu olho

Enquanto a aurora serenava clara
Nas meninas vadias do mirar,
Mais um pio no fim da treva

E amanheci pássaro feliz
De insônia vencida!




Patrícia Gomes
Imagem: Kassandra

Um comentário:

Mariana disse...

Ficou bom esse layout, hein? Eu pensei em modernizar o meu, mas prefiro deixar exatamente como era qdo nasceu (só gostaria de arrumar as tabelas pra não darem pau no firefox como dão hoje. Enfim, um dia eu arrumo (se for capaz).
Lindo post, como sempre :)
Beijo, fica bem