19 de ago de 2009

Delírio Etílico


Quero o dia que me bate,
sorrateiramente, à porta
com manchas úmidas
no dourado escasso;
o tempo solto
enquanto leio o que
dizem ser o certo...

Vejo as máquinas de escrever
chorarem falidas, enquanto,
perdida, choro em livros sobre
a delicadeza e generosidade
do mundo insalubre...



Patrícia Gomes
Imagem: Christian Coigny

2 comentários:

F. Reoli disse...

Tão bom quanto uma generosa dose de Jack Daniels ( sem gelo ). Beijo, frô!

Patrícia Gomes disse...

E eu fico ainda sonhando com o dia em que poderemos apoiar juntos os copos... ;o)