19 de jun de 2012

Resenha: Fazes-me Falta - Inês Pedrosa




Fazes-me falta, da jornalista portuguesa Inês Pedrosa, foi lançado no Brasil em 2003, pela editora Planeta, numa primeira edição linda, de capa dura que me pegou pelo olhar e me fez levar um exemplar correndo pra casa e nele mergulhar até quase me afogar em lágrimas e sorrisos a cada página lida!
E hoje eu senti saudades desse livro, tanto que voltei a lê-lo.



Ele tem uma narrativa densa em duas perspectivas distintas do mesmo momento. Inês criou uma estrutura simples, curta,  na qual cada capítulo, que dura em geral duas ou três páginas, traz o pensamento de um deles, em forma alternada A morte precoce da protagonista descortina a intensa relação entre o homem e a mulher. No limiar entre a amizade e a paixão, os dois não suportam a separação definitiva e, em paralelos, costuram seus encontros e desencontros, afinidades e divergências, silêncios e desabafos.

Ela, uma jovem professora idealista que se envolve na política em busca da realização de um mundo mais justo; ele, um homem maduro que vê o mundo a partir de suas vivências em Portugal pós-revolução e nas guerras no continente africano. A mulher, marcada por um amor não cicatrizado e por diversas relações interrompidas, morre de repente e condena o homem que passou por alguns casamentos e manteve a sensação de incompletude projetada na ausência de filhos a uma estranha viuvez.

“Demasiado tarde. São estas as palavras mais tristes de qualquer língua.”

“Arrumei os amores, é a primeira regra da vida – saber arquivá-los, entendê-los, contá-los, esquecê-los. Mas ninguém nos diz como se sobrevive ao murchar de um sentimento que não murcha. A amizade só se perde por traição – como a pátria. Num campo de batalha, num terreno de operações. Não há explicações para o desaparecimento do desejo, última e única lição do mais extraordinário amor. Mas quando o amor nasce protegido da erosão do corpo, apenas perfume, contorno, coreografado em redor dos arco-íris dessa animada esperança a que chamamos alma – porque se esfuma? Como é que, de um dia para o outro, a tua voz deixou de me procurar, e eu deixei que a minha vida dispensasse o espelho da tua?”

Há poesia em cada diálogo travado, digo diálogo porque é o que, deliciosamente, acontece, vez por outra, quando, as impressões de ambos se encontram em um paralelo de dor e saudade, amor e companheirismo.
E o melhor de tudo é que nessa primeira edição foi mantido o português de Portugal, que ainda tem, a meu ver, um "Q" de mais forte, impetuoso.
Com certeza esse é um livro para se ler, reler sempre!!

"A felicidade é uma coleção de instantes suspensos sobre o tempo que só depois de amarelados pela ausência se revelam"



Fazes-me falta
Inês Pedrosa

Literatura Local [Estrangeira pra nós! rs]
Páginas: 238 páginas
ISBN: 8574795577
Formato: 15.6 x 1.8 cm.
Encadernação: Tapa rústica
Selo: Planeta
Nº de Edição: 1
Publicação: Abril 2003

Nenhum comentário: