23 de jan de 2011

Espadas de São Jorge

Image by_mmebuterfly.



Que seja assim, amor,
espadas de São Jorge ou que 
seja vão o dia...

Bondade é pra quem precisa
da piedade alheia;

a beleza se faz fugaz, mesmo quando
há o gasto e o polido, e a piedade
seja algo cada vez mais mesquinho.

Não me cantes que o beijo, antes tanto
desejado, celebre hoje outros lábios...

Que fossem bucólicas todas as minhas
doloridas cólicas; bastante Eva fui
pra saber de cada uma de minhas dores;

que nas sombras frouxas, sejam 
imaculados os dias resfriados de
desejos, onde a cor cereja, fruta
tão vermelha, ilumina qualquer lugar
vago e sem brilho...

deixo que a moça, que há[?] em mim
abra as pernas; 
quem era ela?
não importa mais...

depois da pétala fria
o cometa é puro gelo,
já não vibra em fogos a supernova,

e a fome, é a inveja de um vampiro.




Patrícia Di Carlo

4 comentários:

Iara disse...

Paty queridona, que linda poesia, amei, grande inspiração para a primeira de 2011, fico aguardando as próximas.
Beijos flor.

Giuliana: disse...

Paty,

Abrindo o seu ano poético de maneira formidável. Que linda poesia!

Beijos

Elisa Zavam disse...

Oi Moça.

Tudo bem?!

Nossa quanto tempo heim?!
Estou voltando com um novo blog,
espero que goste...
O seu continua belo, adorei os textos e imagens...

Abraço

Patricia Daltro disse...

Suas poesias nos transportam pra um mundo belamente lírico. Gosto muito!