3 de jul de 2010

"A Língua das Mariposas"


Não, não me olhes assim,
como a dizer-me que sabes
quem sou, em dissimulada prepotência.

Nada sabes da escuridão esquecida
de minha toca, tanto menos do
lume dos meus olhos em febre,

do espírito ardente de onça livre,
o branco lábio mordido de dor, a leveza
das pernas galgando a fugaz alegria.

Não queira acender o fogo de
tuas certezas sobre meu rosto,
tão pouco incendiar meus olhos
com tua língua

Não quero o que imaginas,
tãnto menos o mundo.
Ah! Sou bem mais modesta;
Só quero trocar o mal por flores.




Patrícia Di Carlo
Imagem: Ninaste


Um comentário:

SaraMaper disse...

Que lindo! é tocante a parte :
´´Nada sabes da escuridão esquecida
de minha toca, tanto menos do
lume dos meus olhos em febre,´´

Me vi nessas palavras...
as gravuras em aquarela ai acima são suas? adorei elas =)