16 de abr de 2010

Palavras Nuas

 
 
Desnudo minhas palavras
de qualquer coisa de meu;
em nudez absoluta
salivam vontades,
desejos
e eu, de fora,
só observo
os rumos curvos
da linha
que nunca quis
ser reta…





Patrícia Di Carlo
Imagem: Bogdan Gavrus 

7 comentários:

Anônimo disse...

Amiga
Como sempre é um prazer ler-te. Mandei-te uma mensagem no facebook. Beijinhos
José

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, belo post...Espctacular....
Beijos

Elisa Zavam disse...

"Minha cidade tem canetas
esvaindo-se em milhares de palavras
retrocedendo-se confusas em delgados guardanapos.
Feito moscas inconclusas andam pelas ruas escrevendo e vendo
o que eles vêem nos vão dizendo.
E sendo eles poetas de verdade,
enquanto espiam e piram,
não se cansam de falar
do que eles juram que nunca viram."

* Com muita alegria recebo-a novamente em meu blog, quanta falta vez seus recadinhos repletos de carinho e suas publicações tão sensatas, reais e perturbadoras. Sinta se livre para o retorno constante e desde já se sinta abraça com euforia.

Elisa Zavam disse...

É, o amor... Ele é o culpado de tudo, rsrs.
E para ti minha Querida a porta sempre estará aberta, venha, vá, volte e suma como for de seu agrado... Estarei esperando ansioso seu retorno, visto que tem adoro dividir meus textos, planos e recados com você, um belo sábado para ti, beijão!!

Patrícia Di Carlo disse...

Obrigada, meninos!! ;o)

Elisa, é um prazer passear por teus caminhos, tentar enxergar através da tua lente e me embreagar nas tuas letras... Vou, volto, e retorno sempre com prazer!
Obrigada, frô!

Paty

Elisa Zavam disse...

Olá Patrícia, bom dia!! ;D

Nossa, obrigada pelo carinho, atneção ao ler meus textos, saiba que a recíproca é verdadeira.
Seux textos me fazem um bem danado e eu espero estar a sua altura logo, logo.

Beijossss

Patricia Daltro disse...

Que poesia linda. Consegui me ver ali, nessas linhas que nunca quiseram ser retas.