26 de ago de 2009

Sementar Descantos



Um esquálido anjo, de varetas
Pernas entrelaçadas, me dita
Que o mundo volteia, nos dias,
Extraordinariamente!

Nada mais simples,
Nada mais pesado;
E tudo, mais uma vez,
Confunde-se em minha mente
Manchada de céu,
Seca de desertos de sal.

Sem fresta, janela que seja,
Pela borda do que vê meu olho
Temo o terror que me acena
E cravo meus dentes sorrisos
No tempo de alegria que baila,
Pulando como louva-deuses,
Em minhas omoplatas...

Minha vida por si só
Alcança o gesto e
Decanta,
Num canto impuro
Acima das árvores,
Meu ventre cheio de frutas,
Sementes...


Patrícia Gomes
Imagem: Miaudum

Nenhum comentário: