21 de abr de 2009

Suficiente


Acreditei que bastaria
Ir embora de casa
Escrever longas cartas
Cortar as madeixas
Virar o rosto quando
Se fizesse noite

Mas que nada!

O amor foi contundido
Confundiu as ferragens d’alma
Enroscou em meu corpo
Um informe grilhão

Achei suportável certas misérias,
Ouvi-o rosnar debaixo da lua
Até mesmo em dias de chuva
Pensei que pudesse ser abandonado
Qual nada!

Com amor errado
Só cometendo assassinato!


Patrícia Gomes
Imagem: Oana Cambrea

2 comentários:

Eurípedes disse...

Você se liberta
E eu me encanto
Me arrebata sentimento profundo
Desencadeia meu pranto

Patrícia Gomes disse...

Espero que seja apenas um pranto de contentamento, Eurípedes..
Obrigada pela gentileza por aqui também... ;oD