5 de set de 2013

Eu poético: Surriada





resgatei um passo dado
em meio às nuvens 
que enterrei no meu jardim
regado com reflexos de luas 
colhidos, em baldes, do mar 
de sonhos que desejei.

veio emaranhado em raízes 
de realidade nua com um olor 
de outono ressequido que brota, 
ao sentir o sol, uma dileta primavera…

estranhei ao sentir a sombra 
de mim, que se escondia atrás do passo, 
e ver em seus olhos 
um plano mal traçado, 
seria tudo contra mim?

Talvez descubra,
quando achar o dia/noite
que se esconde na dobra do eclipse…




Patrícia  Di Carlo  
Imagem: Magnus Blomster


Nenhum comentário: