22 de nov de 2012

Eu poético: Fado




quisera ser árvore...
sentir raízes crescerem
em terra fértil,
sugar vida em materno seio
 
reflorir a cada setembro
exibindo-me em cores e sensações,
deixar que a chuva caia
desmanchando a cor das  horas
 
perfurar toda a obscuridade,
paisagens entulhadas; assombrar,
sem decoro, o que resta de
inverno prostrado em meus precipícios
 
para que o ouro 
achegue-se com meu quinhão. 



Patrícia Di Carlo 
Imagem: i. anton


Nenhum comentário: