5 de out de 2012

Eu Poético: Menor Rumor

Imagem via We heart it



Meus olhos agora lavam
O que a alma custou a sangrar,
E a felicidade, antes ilegítima,
Já não se preocupa em achar uma cova escura.

As palavras ardem no peito, e,
Novamente, sinto as mãos em brasa, e
Cega, com o afogar dos olhos, permito, enfim,
Que as palavras abrasem o papel;

E já não quero mais,
Do adeus que julgara ter ouvido, ou dito,
O menor rumor.


Patrícia Di Carlo

Nenhum comentário: