20 de out de 2012

Delírio Etílico




Quero o dia que me bate,
sorrateiramente, à porta
com manchas úmidas
no dourado escasso;
o tempo solto
enquanto leio o que
dizem ser o certo...

Vejo as máquinas de escrever
chorarem falidas, enquanto,
perdida, choro em livros sobre
a delicadeza e generosidade
do mundo insalubre...



Patrícia Di Carlo
Imagem: Christian Coigny



Nenhum comentário: