17 de mar de 2010

Sangrando

a lua já não é nova,
deixou o vermelho escorrer
e arroxeou-me os olhos,
a carne e alma.

na penumbra sinto a sombra
liquefazeita na memória
e o sonho puro, casto
jaz deserto

em arregalo, meus olhos anunciam
as primeiras águas da manhã pagã
e o sonho é um corpo que me foge
do ventre cansado de raízes e folhas.



Patrícia Di Carlo
Imagem: Anne-Jully Aubrey

5 comentários:

J.F. de Souza disse...

não sei
semear
sonhos

eles
simplesmente
nascem

e
voam
soltos

J.F. de Souza disse...

Prazer em conhecer!

Patrícia Di Carlo disse...

Você sabe criá-los
E isso é tudo...

Seja bem vindo! ;oD

Abraços

F. Reoli disse...

Minha happy hour dessa sexta-feira, já começou comigo bebendo suas palavras... sempre bom!
Beijos, amore

Patrícia Di Carlo disse...

E vc sempre me embreaga com as tuas palavras, meu amigo...
Me enche a face com um sorriso..
Saudades.

beijos