21 de jun de 2009

Loucura



A loucura exige disciplina
e a torturo com minha rebelião

Queimo os colchões
acolhendo a insônia

Mostro os dentes afiados
e nacarados para deus

Lambo o sangue que goteja
da dor do pulsar

Mas no fim, sorrio pra ela
que abre ainda mais os braços pra mim...


Patrícia Gomes
Imagem: Geoffroy Demarquet

Um comentário:

Pablo Frazão disse...

Loucura e poesia são uma combinação muito interessante ^^ , alias esse eterno flerte da loucura com pintores e poetas chega a ser fascinante.Parabéns pelo poema.