17 de abr de 2009

Emoção In Natura



Indico-me o presente que não aponto
Entrelaço os dedos e seguro o queixo
Com as costas da concha que se forma,


Enquanto, em “trip” estranha, sentindo frio,
Busco um corpo que preciso quente
Aquecendo-me nessa hora alheia
Que me vejo insípida e tão nua…


As mãos atadas me fisgam
E, enquanto olho, tento não sentir

Sua voz reverberando
Em cada filigrana de pele
Que me recobre o corpo,

Vejo nas costas da palma mão fechada
O que dizem ser o meu coração,
Pasmo no que percebo

E já não sei como lhe dizer…

Tanto sentimento em músculo tão pequeno
Que bate oco em parco sangue que bombeia.

Nessa visão explico a vertigem que sinto
Constantemente: Falta oxigenação na razão
que, tresloucada, não me acena o rumo


Para escapar da falta de você,

Ou qual o caminho pra lhe deixar de vez…




Patrícia Gomes
Imagem: Anca

Nenhum comentário: