15 de mar de 2009

Pra Você, Criança...


Viver com medo é viver pela metade!

Sempre me pautei por essa máxima, pela sua força de mantra e por achar que realmente estaria segura com ela. E o mais claro de tudo é que somente agora eu assumo o que sempre usei: uma máscara. Uma máscara onde tentava enganar a mim mesma.

É muito fácil dizer ao mundo que não se tem medo, é muito fácil ensinar aos outros aquilo que mais precisamos aprender; e eu, pelo visto, me tornei PhD nesse assunto!

Aprendi a conviver e até a gostar da solidão por temer ficar só. Aprendi a ouvir por temer não ter o que falar. Aprendi a me preocupar e a cuidar por ter medo de não ter quem o fizesse comigo.

Reaprendi a andar a passo lento, porque me senti em segurança quando passei a tê-lo ao meu lado, senti-me mais forte quando me ensinou, na prática a força de ter nossas mãos entrelaçadas. Aprendi o quanto é bom e real conviver sempre com a verdade, por mais crua que seja.

No entanto, entre um sorriso e outro, também aprendi que amar e confiar, somente, não é o bastante. Ao menos é o que tem me parecido. Não basta buscar ser o que julgo ser o melhor pra você, preciso aprender a saber o que você quer. Da mesma forma que tenho procurado aprender o que quero.

Uma certeza eu tenho, desde o dia em que o beijei pela primeira vez: Não o quero longe da minha vida. Mas não estou disposta a pagar o que não tenho por isso. Pois acredito que o que posso dar em troca é muito valioso: o meu respeito, o meu amor e a minha verdade quando olho em teus olhos e sorrio a ti o meu amor.

Não o quero preso aos meus calcanhares, ao contrário, te quero com a liberdade da certeza de que você sabe o que faz, de que você realmente sabe o que é precioso e valioso pra si mesmo, assim como tem a mesma certeza com relação a mim.

Sempre acreditei que usava, e usei muitas vezes, os meus medos como um impulso pra ser mais forte que eles, mas agora tenho me sentido acuada e vejo-me pela metade...

Por isso lhe peço que volte e ajude-me, novamente, a viver inteira, pois a metade já não mais me cabe, não me suporta e nem me contém...

Com amor...



Patrícia Gomes

Nenhum comentário: